continua introdução
Home
Liturgias
Defumação
Defumação é um processo ativo de exercício de mediunidade e por isso deve ser tratado com muito cuidado.

Todo local onde se vive, seja um templo, sua casa ou local de trabalho, pode e deve ser defumado. A Casa onde se mora
principalmente, ainda mais se se é uma pessoa que trabalha com a espiritualidade do santo, e que mantém em casa suas
firmezas ou mesmo os seus instrumentos litúrgicos.

Todo mundo que tem "luz" própria ou que tem em si ou sua casa um local de concentração de energia, acaba sendo um atrativo
para as inúmeras almas perdidas que existem vagando pela terra. Assim, ao defumarmos, nem sempre estamos tratando de
afastar demandas contra nós, mas também de manter o equilíbrio de nossa própria casa.

Qualquer pessoa com ou sem uma mediunidade ativa, pode perceber quando ha uma alteração no ambiente e nesses casos
deve se recorrer a uma defumação. No caso de terreiros e casas de santo, onde tudo isso é mais grave ainda, ou melhor mais
intenso, o início de cada sessão de trabalho deve ser precedido de uma defumação.

Considero que defumar não é um processo formal ou ordinário e sim uma liturgia e quem defuma algum lugar sempre deve se
preparar porque vai estar absorvendo também as energias negativas do lugar, como um para-raio, ou um "aspirador de pó".
Desta forma para executar essa liturgia é necessário alguma maturidade na magia, conhecimento e também procedimentos de
preparação e auto-limpeza que para quem faz vai mais além do que o ato de defumar.

Em termos da maturidade na magia significa uma sintonia com os mestres e entidades que trabalham junto com ele. O
conhecimento diz respeito ao método de fazer e elementos a serem utilizados tanto no defumador ou defumadores como
também em procedimentos complementares. Em termos de finalidade, o processo de defumação pode ser feito para retirar, ou
seja queimar, a energia ruim como também preencher com energia boa. Geralmente quando se encontra um ambiente carregado
usa-se um ou mais defumadores de limpeza, que irão "queimar" ou esterilizar as energia ruins. Depois do ambiente ruim faz-se
uma nova defumação com um outro defumador "doce" que irá preencher o ambiente com a energia que se quer deixar evitando
assim um vazio que é a oportunidade para coisas indesejadas ou mesmo um ambiente estéril e que não traga conforto aos
ocupantes do lugar.

No caso de terreiros ou casas de trabalho é similar. É comum se defumar mais de uma vez ao longo do dia de maneira a garantir
a limpeza astral do lugar. No início de trabalhos com determinadas linhas, como a do povo cigano ou do oriente, pode-se passar
um defumador “doce” com a finalidade de atrair e facilitar as energias destas entidades. No catimbó o cachimbo é também um
instrumento de defumação e preparação do ambiente. Pode-se usar fumos com ervas de limpeza para limpar a seção, como
também pode-se colocar misturas “doces” para facilitar ou chamar a incorporação.
Os defumadores devem ter fórmulas adequadas a cada finalidade. Um pessoa experiente sabe fazer os seus e pode
ter vários que são usados conforme o caso e, que combinam as ervas mais adequadas e as ervas que fazem parte
do seu fundamento e de suas entidades, porque como eu disse a gente nunca faz isso sozinho.